"Vai terminar servidor em Santa Rita ganhar Salário Minímo", diz sindicalista ao convidar professor e sede para assembleia geral.

“Vai terminar servidor em Santa Rita ganhar Salário Minímo”, diz sindicalista ao convidar professor e sede para assembleia geral.

O presidente do sindicato dos Servidores Públicos Municipal de Santa Rita-PB – SINFESA, José Farias afirmou a reportagem do Paraíba urgente nesta segunda-feira (21) ao convidar as categorias de professor e sede da prefeitura para assembleia geral que “vai terminar servidor em Santa Rita ganhar salário minímo devido os ataques da gestão Panta sem abrir diálogo e sem conceder reajuste desde que assumiu a gestão municipal”, vai completar três anos sem receber um aumento e ainda obteve redução de salário que é o maior atraso na gestão pública municipal, desabafou o sindicalista.

De acordo com o sindicalista José Farias a assembleia geral desta terça-feira (22), com professores e os servidores que compõe a sede da prefeitura de Santa Rita tem como objetivo principal de discutir o início do ano letivo, repasse de piso salarial, terço de férias 2016 – 2017, 2017 – 2018, 2018 – 2019, salário atrasado além do PCCR da educação que está sendo reformulado e que será preciso uma ampla discussão com todo o magistério e demais categorias para que não obtermos mais perdas como estamos sendo massacrados, declarou José Farias.

“Será preciso união de todos os servidores de todas as categorias que desde a fundação do sindicato jamais foi visto um desmonte da gestão pública municipal com ataques aos servidores sem dialogar, reajuste salarial, perseguição, redução de salarial e acima de tudo reformular PCCR para retroceder direitos de servidores e sem conceder o que está previsto em lei, a discussão nesta assembleia desta terça (22), os servidores poderão opinar pela paralisação por tempo indeterminado sem o início do ano letivo até que a gestão Panta mostre uma solução que a prefeitura de Santa Rita nunca esteve em crise e quem continua sofrendo com defasagem salarial são os servidores que não tem culpa com atos das gestões desastrosas para serem penalizados, recurso existe o que falta é compromisso e prioridade por que dinheiro não falta como mostra os repasses de FPM e ICMS além de 15% na previsão orçamentária para 2019”, frisou o presidente do sindicato.

Contamos com a presença de todos.

Sindicato Forte é Sindicato Unido