Vazamento de amônia no Terminal Pesqueiro de Cabedelo preocupa população e Bombeiros interditam local

Vazamento de amônia no Terminal Pesqueiro de Cabedelo preocupa população e Bombeiros interditam local

Terminal Pesqueiro de Cabedelo (Foto: Aline Lins)

Um vazamento de amônia no Terminal Pesqueiro em Cabedelo vem causando apreensão aos moradores de Cabedelo. De acordo com as primeiras informações, uma equipe do Corpo de Bombeiros de João Pessoa já interditou o local para fazer a contenção do gás tóxico que pode causar danos à população. A amônia é um produto químico perigoso, corrosivo para a pele, olhos, vias aéreas superiores e pulmões. A punição para o crime ambiental vai depender do grau de poluição. A multa pode variar de R$ 500 a R$ 50 milhões.

De acordo com informações do secretário do Meio Ambiente da prefeitura de Cabedelo, o vazamento começou na noite de ontem e até este momento o cheiro continua se espalhando pelo local. Ainda segundo ele, o vazamento foi causado pelo roubo de peças do local. “Nós detectamos que o vazamento foi em função do roubo de peças do sistema que faz a refrigeração do Terminal Pesqueiro. Como o Terminal está totalmente abandonado, houve o roubo de algumas peças, dentre elas a que faz o funcionamento do sistema.”

Segundo Walber Farias, a prefeitura vai interditar as imediações do terminal e autuar o Terminal Pesqueiro por todos os danos causados à população e ao meio ambiente. “Um relatório vai ser encaminhado para o Ministério da Agricultura e Pesca e o Terminal vai ser autuado e deve resultar em multa para a Secretaria Especial de Pesca do Governo Federal. A multa pode variar de R$ 500 a R$ 50 milhões.”

“A poluição atmosférica é o que mais nos preocupa no momento. Agente não tem relatos que a contaminação chegou na água, por isso a nossa preocupação com a saúde respiratória das pessoas. Ainda não temos relatos de contaminação da população.”

“Estamos no local, mas ninguém diz a verdadeira proporção deste acidente. As equipes dos bombeiros, juntamente com as equipes da empresa, inclusive, com pessoas especializadas em manutenção na área de amônia, tentam a todo custo controlar a situação”, disse Walber, secretário do Meio Ambiente de Cabedelo.

Recentemente, MPF, PF e AGU realizaram inspeção no Terminal e constataram o abandono.O prejuízo estimado ao erário supera o valor de R$ 14 milhões. Inaugurado em 2010, o terminal, com 10 mil metros quadrados e capacidade de processamento diária de 50 toneladas de pescado, recebeu mais de R$ 11 milhões em investimentos públicos. De 2013 a 2015, foram gastos mais R$ 3,4 milhões em reforma e adequação em manutenção de aparelhos, sem sequer estar em pleno funcionamento. Uma ação civil pública foi ajuizada.

ClickPB