Vereador de Bayeux que foi preso e tomou posse rebate acusações de promotor

vereador ArnóbioO vereador Arnónio Gomes Fernandes (PSL), do município de Bayeux, foi empossado novamente, depois de dois anos afastado do cargo, na manhã de ontem, terça-feira (09). Ele foi preso em 2013 após acusação do Ministério Público de associação para o tráfico de drogas e crime organizado, além de acusação de que ele vendia armas para criminosos. O parlamentar foi condenado a nove anos e seis meses de reclusão. O parlamentar rebateu alegações de que vai ter seu mandato cassado pelo motivo de ausência acima do limite de 121 dias.
O promotor Marinho Mendes está pedindo a cassação do parlamentar alegando ausência superior a 121 dias. No entanto, o vereador diz que não perderá seu mandato, conquistado em 2012, com 906 votos, porque segundo o regimento, o político só pode ser cassado se ele for condenado, após transitado e julgado o processo ao qual ele responde, até última instância.
Arnóbio revelou ainda que está sofrendo perseguição já que o processo pelo qual responde é de 2011 e apenas em 2012 durante a campanha a após sua vitória, as acusações voltaram a tona, o que resultou na sua prisão em 2013. Ele foi expulso da polícia onde era sargento.
“Do mesmo jeito que a justiça me privou da liberdade, ela dá o direito de recorrer e se defender das acusações. O regimento diz que o parlamentar só pode ser cassado quando foi transitado e julgado o processo pelo qual responde, então tinha o direito de voltar à Câmara. Eu tenho defesa e sou inocente até que se prove o contrário. Alegam que deixei a Casa e por isso deveria ser cassado, mas eu pedi licença, está tudo nos conformes. Eu não temo isso, apenas os castigos de Deus. Sou vítima de perseguição, para que isso? Não posso ser cassado e sou inocente até que se prove o contrário”, explicou Arnóbio Fernandes.
PB Agora