Vereador denuncia descaso da PMJP com escolas e cita princípio de incêndio

RAONI DENUNCIAFalta de manutenção elétrica e hidráulica, falta de recursos para custeio de alimentos e manutenção de equipamentos são alguns dos problemas identificados pelo vereador  Raoni Mendes (PDT), durante visita, realizada nesta segunda-feira (24), a duas escolas públicas da rede municipal de João Pessoa,  localizadas no bairro do Cristo Redentor:  Santa Ângela (ensino fundamental), e a Padre Bartolomeu de Gusmão (educação infantil e ensino fundamental).De acordo com o vereador da Capital, na escola Santa Ângela houve, na semana passada, um princípio de incêndio na Sala de Informática, devido à precariedade da rede elétrica do prédio, onde há também um elevador (para acessibilidade de pessoas com deficiência) que está desativado há mais de um ano por falta de manutenção ou até mesmo porque ele (o elevador) foi ligado numa rede elétrica que não suporta o equipamento. “Inclusive a sala de informática, em que apenas três computadores estavam funcionando, agora está interditada. Mas não é só na Santa Ângela, os problemas se repete em várias escolas”, acrescentou Raoni Mendes.

Na escola Padre Bartolomeu de Gusmão os problemas são semelhantes aos identificados na primeira escola visitada. “O ponto mais crítico na Bartolomeu Gusmão é o ginásio, que corre sérios riscos de acidente na parte de infraestrutura”, citou Raoni Mendes, destacando a demora na entrega de fardamentos também foi criticada pela comunidade escolar. “Outro problema comum às unidades educacionais é com relação ao fardamento, que só foi entregue na última sexta-feira (21) e, ainda por cima, incompleto”, lamentou o vereador de João Pessoa, ressaltando que as aulas começaram há mais de oito meses e só agora a Prefeitura entregou camisas, calças e sapatos (acima do número utilizado pelos alunos), ficando faltando entregar os shorts.  “E as bolsas, que foram entregues no começo do ano, não consegui ter acesso, porque não existem mais”, relatou Raoni chamando a atenção para a má qualidade do produto que não durou nem um ano de uso.

Durante as visitas, realizadas em 22 escolas da rede municipal,  Raoni Mendes ouviu muitas reclamações de alunos e desabafo de gestores. O alunado reclama, dentre outros aspectos, o calor nas salas de aula. Enquanto, que os gestores reclamam que precisam retirar da própria remuneração, recursos para comprar itens básicos como açúcar, leite, café utilizados no dia a dia da instituição e até mesmo promover “cotas” entre os funcionários. “Os diretores justificam que buscam apoio da Prefeitura, sem sucesso. Eles mandam ofícios, mas não são atendidos e os problemas continuam”, ponderou o parlamentar, informando que os todos relatórios da visitas são entregues ao Ministério Público e à Secretaria de Educação.

 

ClickPB