Vereador denuncia que emenda contra shopping intermares não foi votada em plenário, mas anexada ‘indevidamente’ a Projeto

junior da deleO vereador Júnior Datele (PMDB) apontado com um dos que votaram contra a construção de um shopping em Intermares, afirmou, em entrevista ao programa Rádio Verdade, que houve má fé na votação de dezembro ao terem colocado a emenda que proibia a construção em meio a apreciação de um Projeto de Lei (PL) que não tinha ligação com o caso e destacou que a lista que circula pelas redes sociais é a de presença dos vereadores e não dos que votaram naquele dia.

A confusão recomeçou quando começou a circular pelas redes sociais uma montagem com os nomes dos vereadores que supostamente teriam votado contra a construção do shopping. O vereador que teve o nome envolvido veio à público explicar que tanto ele, como os outros que aparecem na lista não tomaram conhecimento dessa votação.

Para o vereador, a emenda 001 (que impede a construção do shopping) não passou pelo Plenário e que o Projeto de Lei 003 (o qual a emenda foi anexada) nada retrata da emenda. “Essa emenda não passou pelo plenário, portanto está com vício legislativo. Outros vereadores que eu falei também não têm conhecimento dessa emenda e todos sabemos que o plenário é soberano”, diz.

Apesar de ser primeiro secretário à época, o vereador comentou que, apesar de estar presente, quem estava lendo era o segundo-secretário. E que quando tomou conhecimento do fato solicitou o áudio da sessão para constatar que não se falou da emenda 003. “Não estou querendo posar de bom moço, mas quando tomei conhecimento dessa situação pedi o áudio da sessão e entrei com um requerimento para pedir a correção da folha de votação”, conta, destacando que o documento que está circulando nas redes sociais é apenas a folha de presença.

Para acabar com toda a confusão, o vereador destacou que já protocolou uma lei complementar, nesta terça (18), que viria extinguir essa emenda que foi ‘votada com vícios’ no dia 23 de dezembro de 2013.

Datele apontou que não tem como provar quem colocou a emenda e se foi antes ou depois da votação, como também se trata de uma afirmação ‘forte’, mas ressalta: “Uma coisa certa, votamos o PL origianl e não com emenda. Tenho plena convicção, não votei emenda para prejudicar o shopping e jamais iria tomar essa decisão”, garante.

Marília Domingues