João Pessoa 11/12/2018

Início » Câmara em foco » Vereador diz que Bayeux precisa de sangue novo e choque de gestão que atenda anseios do povo

Vereador diz que Bayeux precisa de sangue novo e choque de gestão que atenda anseios do povo

O vereador Jefferson Kita (PSB) da cidade de Bayeux em contato com a reportagem do Paraíba Urgente afirmou nesta segunda-feira (26), que a cidade precisa de sangue novo e um choque gestão que venha atender os anseios do povo e volte a respirar sem necessidade de aparelhos como vive nos últimos dois anos, “não adianta ir de encontro a vontade do povo, a população enxerga que nas três gestões Berg Lima, Luis Antonio e Noquinha nada desenvolveram para a cidade apenas encolheu o município que entrou para o caos e que vai guardar sequelas que vai custar caro para o futuro de sua governabilidade, revelou o vereador socialista.

Para o vereador, a corrupção que envergou a gestão municipal na cidade alavancou diversos problemas que em quase dois anos de gestão passou por três administradores e que nada deu certo, com a limpeza seletiva do lixo na cidade, a saúde não funciona, a educação capengando, e a meses os contratados e comissionados não recebem seus salários comprometendo ainda mais a máquina pública que o que se ver na cidade e nos meios de comunicação são cobranças da população e que nada faz e nem tão pouco toma uma atitude que vem se tornando ingovernável e que se aproxima final Dezembro com várias folhas de pagamentos para honrar o décimo terceiro e mais folhas de servidores que até agora a gestão não se pronunciou como vai operacionalizar para evitar esses atrasos e que a cidade se pode transformar e viver um caos com aconteceu em Santa Rita que deve salários de 2016 que não conseguiu honrar, e obviamente não queremos esse tipo de gestão para Bayeux declarou Jefferson Kita.

“É visível diante de uma crise política e administrativa que a cidade vive um clima angustiante sem precedente sem o funcionamento dos serviços básicos pelo comprometimento de salários atrasados que a população iniciou com protesto na Câmara Municipal por uma eleição direta, que hoje piorou mais ainda, se estendendo para os bairros como aconteceu no Mário Andreazza pela paralisação do estrangulamento dos serviços de educação por falta de pagamento e que pode virá uma isquemia levando a falência múltiplas da gestão municipal de Bayeux, até quando os legítimos representantes do povo vão se esquivar e procrastinar pela eleição direta para escolha popular que o povo tanta deseja em um novo nome e que não venha decepcionar e trazer prejuízo incalculável como vem acontecendo atualmente por ambição de algumas pessoas que pensam que a cidade tem dono e que o povo não espera mais”, frisou Kita.

Lamartine do Vale, do Paraíba Urgente