Vereador Farias articula vereadores base do prefeito de Reginaldo Pereira, e convence a derrotá-lo nas matérias Câmara de Santa Rita

IMG_20150811_114147381_HDRA terceira sessão ordinária na Câmara Municipal de Santa Rita, nesta terça (11), está dando o que falar em todo o município de Santa Rita, trata-se de que a maioria dos vereadores da base de sustentação do prefeito Reginaldo Pereira votaram contra suas matérias sinalizando rompimento com sua base política na Câmara de Santa Rita, as matérias reprovadas são referente ao projeto de Lei nº 30  e uma denúncia contra o ex-prefeito Netinho referente ao Iprev.

Na sessão ordinária, bastante tumultuada apesar de um volume pequeno de matérias mais de conteúdo acentuado e de interesse do executivo, uma da matérias que concedia poderes ao prefeito Reginaldo Pereira para integrar várias secretarias em apenas uma e extinguir outras de foram criados no início de sua gestão e criar cargos e demitir servidores que já e uma prerrogativa do cargo, como é o caso da secretaria da mulher que teve como secretária Cícera da Nóbrega durante o ano de 2013 que nunca teve autonomia de recursos e de poder para exercer a pasta o qual entregou o cargo, e ao assumir por nove meses o município o prefeito Netinho nomeou uma nova secretária Camila Siqueira que administrou a pasta convidando as associações e movimentos sociais para dar seguimento a propostas das políticas públicas para as mulheres, e no retorno do prefeito Reginaldo Pereira, a pasta ficou parada sem secretário e sem atuação, e nas audiências públicas da LDO em junho de 2015, ficou acertado na Câmara de Santa Rita, que seria nomeado um gestor para a pasta que não aconteceu e agora o prefeito pretende extinguir a secretária tão importante que visa políticas públicas para as mulheres, que foi o estopim da bomba para que os vereadores de sua  própria base política reprovarem no parlamento e um possível rompimento com o prefeito.

A outra matéria que foi reprovada na sequência das votações foi uma denúncia de um servidor público acatada pela Câmara Municipal de Santa Rita, referente aos repasses do instituto de previdência do município durante nove (9) que o vice-prefeito assumiu a gestão com o afastamento do atual prefeito Reginaldo Pereira, pelo qual culminou com mais uma derrota enfraquecendo ainda mais sua base política de sustentação na Câmara de Santa Rita, e um distanciamento dos parlamentares que estão insatisfeito a bastante tempo sem atenção do prefeito para com a cidade.

Nas votações das matérias em que o prefeito Reginaldo Pereira obteve as sequencias de derrotas e um possível desfacelamento de sua base política, apenas vereadores que acompanharam nas votações em favor do prefeito, foram os votos de Joza de Nezinho, Cibelle Nóbrega, João Júnior e Luis de Forte Velho, com as ausências dos vereadores Tubarão, Célio Rufino. Vereadores que reprovaram as matérias Farias, Waldecir Lucindo, Sebastião do PT, Jauires Lima, Padi Leomar, Flávio Pereira, Genival Guedes, Paulo Martins, Vanda Vasconcelos, Josefa Mariano (finha), Ivonete Virgínio e Missinho do Bode, afora o presidente da Câmara que é isento de votar na matéria ou apenas em caso empate.

Nos bastidores da Câmara Municipal de Santa Rita, a informação que se comentava após a reprovação das matérias, “é que o prefeito Reginaldo Pereira teve sua base política reduzida”, pelos quais enfrentou quatro processos de cassação do mandato em 2013, e corre o risco daqui por diante de enfrentar os processos vir ao plenário, e que provas é o que não falta, onde  já está tramitando na casa denúncias para que seja colocada em pauta e não haja erros como foi cometidos nos processos anteriores e  para que os atos não sejam revogados como o que aconteceu o retorno do prefeito Reginaldo Pereira.  IMG_20150811_105942167

Lamartine do Vale, do Paraíba Urgente.