Vereador se diz vítima de armação feita por aliados de Netinho

Josa Neinho vereadorO vereador Josa de Nezinho entrou em contato com o ParlamentoPB para esclarecer uma matéria divulgada no dia de ontem e que se referia a uma declaração dele na tribuna da Câmara afirmando que o apoio dos vereadores da cidade dos canaviais ao prefeito não seria dado de graça. Josa enviou também o áudio completo de seu discurso e provou que a crítica se dirigia aos assessores do ex-prefeito Netinho que, segundo ele, só aplaudiam o ex-gestor porque tinham cargos comissionados na prefeitura na época em que Netinho respondeu pela administração municipal de Santa Rita.
“Foram assessores de Netinho que cortaram meu áudio. Na sessão em que aconteceu meu discurso, tinha um pessoal da assessoria de Netinho que vive nas redes sociais nos agredindo. Eu disse que eles viviam aplaudindo Netinho porque ganhavam dinheiro dele. Viviam elogiando porque tinham cargos comissionados. Eles editaram e fizeram com que parecesse que eu estava criticando os vereadores”, explicou Josa.
Na gravação, sem edição, Josa defende a gestão de Reginaldo Pereira e diz que por R$ 3,5 mil os assessores batem palmas para qualquer prefeito. Ele acrescenta que os vereadores são independentes e seguem a consciência quando votam. “Ninguém pega caneta de ninguém para votar. Política tem acordo e isso é normal em qualquer lugar do mundo. Toda base tem acordo em qualquer lugar do mundo. Há pecado e é proibido os partidos pequenos se juntarem para ter uma base maior no Congresso? Isso é política!”

 

ParlamentoPB