João Pessoa 23/04/2019

Início » Destaque » Vitor Hugo, Marcos Patrício, Eudes e Eneide Régis fazem convenções, neste fim de semana

Vitor Hugo, Marcos Patrício, Eudes e Eneide Régis fazem convenções, neste fim de semana

O sábado (12) e domingo (13) será de convenções de quatro partidos em Cabedelo, na região metropolitana de João Pessoa, com foco na Eleição Suplementar que está prevista para 17 de março deste ano para preencher a vacância de prefeito e vice que o município está vivendo desde a renúncia de Leto Viana, em 16 de outubro de 2018, e já que o vice-gestor, Flávio Oliveira, morreu em 15 de julho do ano passado.

O atual prefeito interino Vitor Hugo (PRB) vai reunir o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) e o governador João Azevêdo (PSB) no Cabedelo Clube, nesta manhã, para a oficialização de sua candidatura a prefeito definitivo e da candidatura do radialista Aguinaldo Silva a vice-prefeito. Vitor Hugo e Aguinaldo têm o apoio do PSB, PDT, MDB, DEM e PROS.

Amanhã, às 10h no Espaço Camboa, o PSOL deve oficializar Marcos Patrício como candidato a prefeito de Cabedelo. Françualdo Alves (PCdoB) é o pré-candidato a vice, na chapa.

O PSD lança, também nesse domingo, a ex-primeira dama Eneide Régis como candidata a prefeita. A convenção do partido acontecerá às 8h, no Clube de Cabedelo. O nome do pré-candidato a vice e as legendas aliadas ainda não foram divulgados.

Durante a noite, às 18h, na Gouver Recepções, o PTB deve confirmar o vereador José Eudes como candidato a prefeito. Eudes tem o apoio de Wallber Virgolino, Eliza Virgínia e dos parlamentares de Cabedelo Geusa Ribeiro, Josimar e Herlon Cabral.

As eleições suplementares de Cabedelo serão realizadas no dia dia 17 de março de 2019. O pleito foi agendado pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) por força do pedido de renúncia feito por Leto Viana, ex-prefeito, no dia 16 de outubro. Ele foi afastado e preso desde o dia 3 de abril, quando foi deflagrada a Operação Xeque-Mate.

Leto é acusado de ser chefe de uma organização criminosa na Prefeitura e as denúncias provocaram o afastamento de toda a cúpula do poder da cidade portuária da Paraíba, incluindo o vice-prefeito, Flávio Oliveira (já falecido); o presidente da Câmara, Lúcio José (PRP), e a vice-presidente da Casa, Jaqueline França (PRP).

ParlamentoPB