Zezé Di Camargo tem vacas de R$ 1,5 milhão na fazenda É o AmoruOL

zezéO cantor sertanejo Zezé Di Camargo considera a pecuária como sua segunda profissão. Dono da fazenda É o Amor, localizada em Araguapaz (GO), o artista cria gado da raça nelore e quer se tornar o principal produtor de animais de alta genética do país. Clique nas fotos acima e conheça mais sobre a criação e a fazenda do cantorDivulgação/Fazenda É o Amor

Zezé Di Camargo se define como um matuto, um caipira. Nascido na roça, no interior de Goiás, desejava ser cantor e pecuarista. Primeiro, veio a carreira na música, estimulada desde cedo pelo pai, Francisco.

Já famoso, Zezé decidiu completar o sonho de infância e criar gado –desejo que começou a se tornar realidade com a compra de uma fazenda em 1993.

Hoje, a fazenda É o Amor –nome emprestado de uma de suas músicas de maior sucesso–, no vale do rio Araguaia, município de Araguapaz (GO), abriga vacas de até R$ 1,5 milhão. Na propriedade de 1.500 hectares, há um laboratório usado para a reprodução de gado nelore puro, que começou a ser comprado em 2004.

“Montei uma estrutura de serviços para reproduzir meus melhores animais através de técnicas de biotecnologia, como a inseminação artificial”, afirma o cantor.

Para Zezé Di Camargo, ser pecuarista estava em seu destino. “A gente foi criado naquele pedaço de paraíso, que era a chácara do meu avô. Era natureza pura. Meu pai ensinou a gente a cuidar da terra e a amar os animais. Sou matuto, sou do mato, este seria o meu destino e, com a música, posso desenvolver a minha essência”, diz.

Ampliar

Veja personalidades que já foram da roça antes da fama12 fotos

1 / 12

Antes de ganhar fama em suas respectivas carreiras, muitas celebridades trabalharam na roça, plantando, colhendo e até cortando cana-de-açúcar. Clique nas fotos e descubra a função desses famosos no campo Arte UOL

No início, pecuaristas não confiavam no trabalho da fazenda

No início dos negócios, Zezé comprava bois para engorda, que, depois eram vendidos ao frigorífico Friboi.

 

COMO É O MELHORAMENTO GENÉTICO?

O melhoramento genético do gado é uma forma de obter animais mais produtivos nas fazendas. Murilo Canedo, da É o Amor, explica que o processo começa com a escolha de vacas puras da raça nelore, de boas linhagens. Os óvulos dessas vacas são coletados e, no laboratório, fertilizados com sêmen de touros de alta genética, comprado de outras fazendas ou empresas especializadas. É o que se chama de inseminação artificial ou fertilização in vitro. Os embriões obtidos são enxertados em “mães de aluguel”, vacas que se encarregarão da gestação. Desse processo, irão nascer animais produtivos e de alto valor de mercado, que podem ser utilizados para melhorar rebanhos de outras fazendas.

Frequentando leilões, começou a investir na raça nelore, gado que já conhecia desde antes de se tornar cantor e com o qual queria trabalhar. Comprou 360 exemplares no início.

“Essa raça bovina é a base da pecuária brasileira. É um gado lindo”, afirma.

A partir daí quis trabalhar com melhoramento genético e passou a vender animais puros, ou seja, que não têm sangue de nenhuma outra raça.

Hoje, a fazenda É o Amor mantém 500 matrizes (espécie de “mãe de aluguel”) e dez doadoras (as vacas das quais se coletam os óvulos). Por ano, são produzidos 350 bezerros.

De acordo com o zootecnista e diretor da fazenda, Murilo Canedo, alguns pecuaristas não confiavam no trabalho desenvolvido na fazenda de Zezé.

“Achavam que, porque ele é artista, ia ser ‘oba-oba’. Acho que a principal barreira que enfrentamos foi essa. Hoje, os clientes conhecem o gado, sabem que o Zezé é muito sério no que faz e voltam sempre a comprar com a gente”, afirma.

Segundo Canedo, a fazenda mantém cerca de 230 clientes.

Com 20 anos no ramo da pecuária, o cantor tem um objetivo claro e ambicioso. “Quero cada vez mais produzir animais melhoradores na raça nelore e me destacar como principal produtor de genética no cenário nacional”, diz.

Marani e Bucareste: as vacas preferidas do cantor

O projeto para entrar no ramo da alta genética foi elaborado por Murilo Canedo. “Ele quis apostar no gado de elite, não só por ser mais bonito, mas também para agregar valor. Um animal nelore puro vale cem vezes mais do que o comum. Eu montei o projeto e compramos os primeiros exemplares. Em 2006, começamos a participar de leilões”, afirma o zootecnista.

Nessa primeira leva, vieram as vacas que até hoje são as preferidas do cantor: Marani e Bucareste. “Elas são o meu xodó”, diz o cantor. Marani é um das mais caras do rebanho, custando R$ 1,5 milhão, mesmo valor de mercado das vacas Elegance 9 e Magnífica.

Os filhos destas vacas costumam ser os mais procurados, de acordo com Canedo.

Atualmente, a fazenda vende embriões, touros com dois anos e sêmen aos pecuaristas. Canedo afirma que houve crescimento na venda de touros, um dos objetivos de Zezé para seus negócios. “Já foram vendidos 150 este ano”.

De 2004 até hoje, o lucro da É o Amor teria crescido em 111%, afirma o diretor da fazenda, sem revelar valores. O aumento só teria sido possível com a oferta de animais em leilões.

No próximo dia 8, Zezé realiza mais um leilão. A 2ª edição do Nelore É o Amor acontece em São Paulo, às 20h, no Brook’s Bar. Entre os animais de destaque dos 10 lotes do cantor estão as fêmeas Laskimi II (filha de Bucareste), Splendida (filha da Elegance 9) e Sula (irmã de Marani). Outros 15 lotes à venda serão de amigos do cantor que participarão do evento.

Ampliar

Veja os carros usados por músicos brasileiros18 fotos

18 / 18

Veja os carros usados por músicos brasileiros Leia mais Arte/UOL
Ampliar

Zezé Di Camargo & Luciano – show em São Paulo (setembro de 2013)52 fotos

 

Uol